quinta-feira, 5 de maio de 2016

GRUPO DE TABAGISMO NA DANTE ROMANÓ





Grupo novo começando e outro em manutenção.
Trabalho de sucesso: 16 pessoas não estão fumando mais.
Parabenizamos a todos os ex-fumantes. Sabemos que é preciso muita força de vontade e vocês venceram a si mesmos.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

MARECHAL HERMES E ATENÇÃO PRIMÁRIA Á SAÚDE








Dra. Andréia (Equipe Marapendi) atendendo cadastrados de Marechal Hermes nas suas casas. 

Os cuidados primários de saúde são cuidados essenciais de saúde baseados em métodos e tecnologias práticas, cientificamente bem fundamentadas e socialmente aceitáveis, colocadas ao alcance universal de indivíduos e famílias da comunidade, mediante sua plena participação e a um custo que a comunidade e o país possam manter em cada fase de seu desenvolvimento, no espírito de autoconfiança e autodeterminação. Fazem parte integrante tanto do sistema de saúde do país, do qual constituem a função central e o foco principal, quanto do desenvolvimento social e econômico global da comunidade. Representam o primeiro nível de contato dos indivíduos, da família e da comunidade com o sistema nacional de saúde, pelo qual oscuidados de saúde são levados o mais proximamente possível aos lugares onde pessoas vivem e trabalham, e constituem o primeiro elemento de um continuado processo de assistência à saúde. (Opas/OMS, 1978)  
http://www.sites.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/ateprisau.html



quinta-feira, 7 de abril de 2016

GRUPO DE ACOLHIMENTO - ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA












Grupo de Acolhimento ou Bem vindo - proposta de serviço da Estratégia de Saúde da Família (ESF) pensando na humanização do atendimento, garantindo acessibilidade, e colaborando para uma maior resolutividade. Atendimento em grupo e individualizado no mesmo dia.


O Ministério da Saúde implementa a Política Nacional de Humanização (PNH) HumanizaSUS:

O acolhimento não é um espaço ou um local, mas uma postura ética: não pressupõe hora ou profissional específico para fazê-lo, implica compartilhamento de saberes, angústias e invenções, tomando para si a responsabilidade de “abrigar e agasalhar” outrem em suas demandas, com responsabilidade e resolutividade sinalizada pelo caso em questão. Desse modo é que o diferenciamos de triagem, pois ele não se constitui como uma etapa do processo, mas como ação que deve ocorrer em todos os locais e momentos do serviço de saúde.
Acolher com a intenção de resolver os problemas de saúde das pessoas que procuram uma unidade de saúde pressupõe que todas as pessoas que procuram a unidade, por demanda espontânea, deverão ser acolhidas por profissional da equipe técnica. O profissional deve escutar a queixa, os medos e as expectativas, identificar os riscos e a vulnerabilidade, acolhendo também a avaliação do próprio usuário, e se responsabilizar para dar uma resposta ao problema. Nesse funcionamento, o acolhimento deixa de ser uma ação pontual e isolada dos processos de produção de saúde e se multiplica em inúmeras outras ações, que, partindo do complexo encontro entre o sujeito profissional de saúde e o sujeito demandante, possibilitam que sejam analisados:
 • o ato da escuta e a produção de vínculo como ação terapêutica;
 • as formas de organização dos serviços de saúde;
 • o uso ou não de saberes e afetos, para a melhoria da qualidade das ações de saúde, e o quanto esses saberes e afetos estão a favor da vida;
 • a humanização das relações em serviço; Cartilha da PNH 24 Acolhimento nas Práticas de Produção de Saúde;
 • a adequação da área física e a compatibilização entre a oferta e a demanda por ações de saúde;
 • a governabilidade das equipes locais; e
 • os modelos de gestão vigentes na unidade de saúde.

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_praticas_producao_saude.pdf



As postagens e comentários aqui publicados são de responsabilidade única e exclusiva de seus autores.Os editores reservam-se o direito de excluir conteúdo ofensivo ou meramente promocional